Caminhada lembra luta antimanicomial

Postado por Ari Schneider  /   maio 19, 2017  /   Postado em Geral  /   Nenhum comentário

O dia 18 de maio marca a luta antimanicomial. A Secretaria de Saúde de São Leopoldo, através do Centro de Atenção Psicossocial (Caps), está promovendo uma semana para comemorar as conquistas e lutar por melhoras da Reforma Psiquiátrica, pensando sobre as formas atuais de produção de cuidado na Saúde Mental. Nesta quinta-feira, 18, ocorreu uma caminhada pela rua Independência.
De acordo com Diego Monteiro, chefe do núcleo Caps Capilé, o movimento luta pela oferta de uma diferente lógica de cuidado, com o intuito da promoção da autonomia e cidadania. “A ideia é a defesa por uma sociedade livre de manicômios, onde as pessoas com transtorno mental tenham seus direitos respeitados, desconstruindo assim o antigo modelo centrado no hospital psiquiátrico, produtor de exclusão e segregação”, explica.
O evento é organizado pela comunidade, usuários, trabalhadores de diversos setores, residentes multiprofissionais, estudantes, familiares e voluntários da cidade de São Leopoldo, com realização de atividades que fomentem o debate acerca de reinserção social, promoção de saúde, autonomia, protagonismo, desconstrução de estigmas, entre outros.
O Dia 18 de Maio foi instituído durante o Congresso de Trabalhadores de Serviços de Saúde Mental, em 1987, marcando a Luta Antimanicomial. O Movimento Antimanicomial surgiu buscando questionar a forma de ofertada em Hospitais Psiquiátricos e propôs um novo modelo de abordagem e cuidado em Saúde Mental, discussão que permanece até os dias atuais. Dentre os ideais preconizados pela Luta e pela Reforma Psiquiátrica propõem-se a superação do modelo asilar com construção de uma rede para a reinserção social das pessoas em sofrimento psíquico, buscando uma maior autonomia e liberdade para esses sujeitos.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

4 × quatro =

%d blogueiros gostam disto: