Vereadores falam sobre Expedição pela Preservação da Bacia do Rio dos Sinos

Postado por Ari Schneider  /   Maio 21, 2015  /   Postado em @destaque-foto, Geral  /   Nenhum comentário

DSC03651Na tarde de terça-feira (19), vereadores que participaram da 1ª Expedição Parlamentar pela Preservação e Recuperação da Bacia do Rio dos Sinos se reuniram no Plenário da Câmara hamburguense para falar sobre a ação. A necessidade de se ampliar o tratamento do esgoto, especialmente por meio da criação de uma agência reguladora das águas para o Estado, foi uma das principais conclusões do encontro. O presidente do Comitê Intermunicipal Legislativo de Acompanhamento das Ações do Pró-Sinos, Aloísio Barmberg, de Canoas, abriu os trabalhos destacando que há cerca de 1,6 milhão de habitantes nos municípios do vale.
Sergio Hanich (PMDB), integrante da Comissão de Meio Ambiente e representante de Novo Hamburgo na expedição, salientou que o papel dos vereadores é fiscalizar e que a navegação foi uma das maneiras encontradas pelos parlamentares de fazer isso. Ele ponderou que a situação do rio abrange não apenas questões ambientais, mas também de habitação, entre outras. “E está faltando uma agência reguladora das águas”, finalizou.
Luciano Froeff, de Estância Velha, salientou que, para se amar alguma coisa, é preciso conhecer, por isso, é preciso conhecer o Sinos desde a sua nascente, em Caraá, até o ponto onde ele desemboca no Delta do Jacuí, em Canoas. O parlamentar afirmou ainda que as imagens coletadas pelo grupo servirão como objeto de estudo por muito tempo. “Mas pena que nossas gravações não têm cheiro. De Taquara para baixo sentimos cheiro de esgoto. Em alguns pontos, a carga dos arroios era vergonhosa.”
Lotário Seevad, também de Estância Velha, frisou que o Sinos não passa por sua cidade, mas que suas águas abastecem a população. Segundo ele, não poluir o rio implica não poluir nenhum corpo d’água. João Luis da Cunha, de Caraá, destacou que em sua cidade ainda é possível beber água diretamente do rio, e que o principal problema constatado na expedição é a falta de tratamento de esgoto ao longo do seu curso. “Temos de conscientizar as pessoas, mas nós, legisladores, vamos ter de começar a olhar os planos diretores dos municípios”, disse. “Infelizmente, nosso rio está morrendo.”
O secretário de Meio Ambiente de Novo Hamburgo, Eduardo Antônio Bonato, destacou a necessidade de se destinar mais recursos da União e do Estado para o saneamento e destinação do lixo. Ele também lamentou a falta de uma agência reguladora para complementar o trabalho do Comitê e Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos (Comitesinos) e do pró-Sinos.

Sobre a expedição
Na sexta-feira, 9 de maio, Sergio Hanich (PMDB), representante de Novo Hamburgo no Comitê Intermunicipal Parlamentar, participou da primeira Expedição Parlamentar pela Preservação e Recuperação da Bacia do Rio dos Sinos. A atividade consistiu na coleta de dados e de água para análise em diversos pontos do rio e foi quase toda custeada pelos próprios participantes.

Naquele dia, um grupo de vereadores, assessores e colaboradores navegou do Largo do Monge, em Taquara, onde o Rio dos Sinos se apresenta largo e profundo, um verdadeiro berçário de peixes, em direção a Santo Antônio da Patrulha. Lá, a água ainda se encontra em boas condições, mas já apresenta algum lixo, principalmente plásticos. (Fonte: Imprensa CMNH)

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

1 + 11 =

%d blogueiros gostam disto: