Reunião para esclarecer sobre pedido de intervenção no Hospital de Estância

Postado por Ari Schneider  /   outubro 30, 2014  /   Postado em @destaque-foto, @destaque-texto  /   Nenhum comentário

Em 22 de agosto, com assinatura de sete vereadores, foi encaminhada ao prefeito de Estância Velha uma indicação solicitando a intervenção do Município no Hospital Getúlio Vargas, que desde o final do ano passado é administrado pelo Instituto de Saúde e Educação Vida (ISEV). A argumentação dos vereadores era que havia inúmeras e reiteradas reclamações de usuários, especialmente quanto à demora em atendimentos, procedimentos e condutas médicas. A indicação foi assinada pelos vereadores Neila Becker, Carlito Borges, Euclides Tisian, Luciano André Rodrigues Kroeff, Samuel Jantsch, Lotário Leopoldo Seevald e Cláudio Hansen. No início do mês de outubro, o prefeito José Waldir Dilkin respondeu aos vereadores dizendo que a Secretaria Municipal da Saúde e a Comissão de Avaliações que acompanha a execução do Contrato de Gestão discordam da solicitação de intervenção.
Na tarde de quinta-feira (30), a Comissão da Saúde da Câmara, presidida pela vereadora Sônia Brites, recebeu os representantes do ISEV, a secretária da Saúde e Imprensa, para debater sobre o pedido de intervenção no hospital. Em quase duas horas de reunião, os vereadores puderam tirar dúvidas e fazer reclamações sobre o funcionamento do Hospital Getúlio Vargas. Conforme já havia se manifestado em ofício, a secretária de Saúde, Ângela Marmitt, reforçou que não teria motivos para fazer uma intervenção. Com o auxilio dos responsáveis do Instituto, a secretária explicou o funcionamento e ouviu as exigências dos vereadores.
Segundo os vereadores, desde o Pedido de Intervenção o atendimento tem melhorado e por isso eles vão aguardar e continuar fiscalizando o funcionamento, caso necessário tomarão as medidas necessárias. Ainda foi colocada a ouvidoria do Hospital à disposição da comunidade, caso queiram fazer alguma reclamação, assim como o “fale com a Câmara”, no site da Câmara Municipal. Dessa forma a comunidade pode fazer as suas reclamações, sugestões e elogios.
Em uma de suas intervenções na reunião, o presidente da Câmara, vereador Lotário Seevald, deixou claro que os vereadores, ao reclamarem do atendimento, não estavam trabalhando contra o hospital ou contra a administração municipal, mas sim cumprindo o seu papel que é interceder pela população, que vinha reclamando. “Fazer uma reclamação não é trabalhar contra; temos que discutir esses assuntos e melhora o atendimento, como aconteceu desde que fizemos a indicação de interdição”, ressaltou Lotário.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

dezessete − treze =